21 febrero, 2024

História da capoeira

Raízes africanas 

A origem da capoeira começa no século XVI, na época em que o Brasil era colônia de Portugal. A mão-de-obra escrava africana foi muito utilizada no Brasil, principalmente nos engenhos (fazendas produtoras de açúcar) do nordeste brasileiro. Muitos destes escravos vinham da região de Angola, também colônia portuguesa. Os angolanos, da África, tinham muitas danças e músicas producto da sua origem.

No Brasil 

Ao chegarem ao Brasil, os africanos perceberam a necessidade de desenvolver formas de proteção contra a violência e repressão dos colonizadores brasileiros. Eram constantemente alvos de práticas violentas e castigos dos senhores do engenho.

Os senhores do engenho proibiam os escravos de praticar qualquer tipo de luta. Como resistência, os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira, uma arte marcial disfarçada de dança. Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros.

A prática da capoeira ocorria em terreiros próximos às senzalas (galpões que serviam de dormitório para os escravos) e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a saúde física. Muitas vezes, as lutas ocorriam em campos com pequenos arbustos, chamados na época de capoeira ou capoeirão. Do nome deste lugar surgiu o nome desta luta.
Até o ano de 1930, a prática da capoeira ficou proibida no Brasil, pois era vista como uma prática violenta e subversiva. A polícia recebia orientações para prender os capoeiristas que praticavam esta luta. Em 1930, um importante capoeirista brasileiro, mestre Bimba, apresentou a luta para o então presidente Getúlio Vargas. O presidente gostou tanto desta arte que a transformou em esporte nacional brasileiro.

Três estilos da capoeira 

A capoeira pode ser dividia em três estilos diferentes no que diz respeito aos movimentos e ao ritmo musical de acompanhamento.

  • Angola: foi criado na época da escravidão e é considerado o estilo mais antigo. Os seus atributos fundamentais são: o ritmo musical lento, os golpes jogados mais próximos ao chão;
  • Regional: caracterizado especialmente pela mistura da malícia e da malandragem da capoeira angolana a com agilidade dos movimentos. O jogo é composto por golpes rápidos e secos sem a utilização de acrobacias. O som que se destaca é o do berimbau;
  • Contemporâneo: estilo misto que agrega alguns fatores da Angola e da regional que se destaca a outros. A característica principal são as acrobacias, notoriamente mais sobressalentes.

Instrumentos da roda de Capoeira

É muito difícil determinar com precisão a data real da inclusão de um determinado instrumento musical na capoeira. De qualquer forma, algumas referências fazem menção a eles por volta de 1538, no século XVI. Hoje, a instrumentação é parte fundamental no jogo da capoeira.

Os instrumentos musicais mais utilizados nas rodas atuais de capoeira são:

Berimbau

O berimbau é um arco musical originado de outros arcos de regiões africanas com ocupação banto. A forma atual e o modo de tocar são construções dos afro-descendentes brasileiros.

O instrumento é composto pela verga de biriba, corda de aço, cabaça raspada, courão e caro. O courão impede que a corda rache a biriba e o caro é o barbante que ajuda na amarração da corda.

É tocado com a baqueta e o dobrão (uma peça de metal, antigamente uma moeda), com acompanhamento do caxixi.

Caxixi

É um pequeno cesto com sementes. Tem, possivelmente, influências africanas e dos indígenas brasileiros em sua construção. Usado com o berimbau, dá um segundo momento no ritmo da baqueta no fio de aço.

 Atabaque

É um tambor de origem afro-brasileira com uso tradicional em rituais de candomblé. Na Capoeira  é tocado só com as mãos e acompanha o berimbau  na marcação do ritmo do jogo.

Pandeiro

O pandeiro é de origem asiática e era usado pelos portugueses, em Portugal e no Brasil, em procissões. Depois passou a ser usado aqui em várias manifestações musicais.

 Agogô

É um instrumento de origem africana. Tem a função de ser um contraponto rítmico aos berimbaus e ao atabaque.

Reco-reco 

Instrumentos de percussão fina enriquecem um conjunto com detalhes e variedade sonora. Na Capoeira, o reco-reco acrescenta esta variedade às vibrações únicas do agogô.

Opinião pessoal

Como opinião pessoal, eu gostaria de falar sobre a minha experiência na capoeira. É uma boa memória da minha infância, principalmente porque ela ensinou-me disciplina, um pouco da língua e suas tradições. Eu tive a experiência de ser capaz de praticá-la tanto na Argentina como no Brasil, e lembro-me da maneira de me comunicar com a outra pessoa, ou seja, a través dos movimentos, giras, chutes. Tive uma sensação muito agradável quando terminei a roda, a saudação e reconhecimento de irmãos brasileiros que participaram nela. Gostaria de quando eu visitar o Brasil ter a possibilidade de participar novamente numa roda.

Estudante: Ricardo Andrade

Carrera: Despacho aduanero

Sede: Caballito

Turno: Mañana